Estudantes fazem assembléia e retiram seguranças da reitoria

Estudantes que ocupam a Reitoria da Ufes reuniram-se hoje às 19h em assembléia deliberativa para discutir os rumos do movimento. A assembléia, que contou com aproximadamente 70 estudantes, encaminhou questões pertinentes a organização do acampamento, medidas de segurança para o movimento e calendário de atividades para os próximos dias.

Após o reitor Rubens Rasseli declarar nas Tvs e jornais locais que os seguranças que permaneciam no prédio da reitoria poderiam a qualquer momento contatar a Polícia Federal para intervir na ocupação , os estudantes votaram pela saída dos sete seguranças que filmavam e fotografavam com celulares as atividades realizadas dentro do prédio. O assessor de imprensa de reitoria, Luiz Vital, que conversou com alguns representantes do movimento, ressaltou que desde a saída dos seguranças, qualquer dano ao patrimônio público é de inteira responsabilidade dos estudantes.

Vital também tentou agendar o encontro do reitor com os estudantes acampados no prédio. Porém, o administrador da Universidade se recusou a se reunir em assembléia com os estudantes, exigindo que se tirasse uma comissão para a realização da conversa. A assembléia deliberou que o encontro só acontecerá quando Rasseli se dispor a conversar com toda a comunidade acadêmica sobre as pautas de reivindicação.

O reitor Rasseli afirmou também que as decisões quanto a construção da moradia estudantil, uma das principais reivindicações dos estudantes da Ufes, não são tomadas no âmbito da universidade e sim decisões do MEC. O Ministério da Educação, ao contrário, afirma que essas decisões referem-se à política estratégica da Universidade.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 License