Carta da Ocupação

A UFSC em crise: Por que os estudantes ocuparam a Reitoria?

Há tempos, nós estudantes da UFSC, vemos um processo crescente de sucateamento e privatização dos espaços da nossa universidade. O começo do segundo semestre foi o estopim desta situação: deparamo - nos com a biblioteca e o restaurante fechados, dificultando não só as aulas, mas também a própria permanência dos estudantes na universidade.

A falta de professores chega a ser escandalosa, fazendo com que alguns cursos, como o Serviço Social, tenham até 12 turmas sem aulas! Isso sem contar a substituição generalizada de professores efetivos por contratados temporários, que não realizam pesquisa e extensão, colocando em xeque a qualidade do nosso ensino.
Durante muito tempo tentamos dialogar com o reitor sobre nossas reivindicações e só recebemos respostas vazias. A reitoria, além de não se propor a resolver os problemas, se recusa a admitir a precarização da universidade e afirma que a situação continua “normal”.

Para você, isso é normal?

Sabemos que a situação da UFSC não é diferente das outras universidades do país. No primeiro semestre deste ano, uma série de lutas e ocupações mostraram que a crise da educação é generalizada e só a mobilização é capaz de revertê-la. Governo e reitoria insistem em nos empurrar um projeto que não vamos aceitar: queremos qualidade de ensino e por isso exigimos:

  1. Abertura imediata de concurso público para contração de professores efetivos com Dedicação Exclusiva e servidores.
  2. Aplicação imediata da regulamentação da bolsa permanência, já provada no CUn.
  3. Aumento das bolsas para R$418,00.
  4. RU noturno com administração, gerenciamento e financiamento públicos.
  5. Reabertura da terceira ala do RU.
  6. Renovação dos materiais do RU, com acompanhamento da comunidade.
  7. Opção vegetariana no RU.
  8. Ampliação da Moradia Estudantil para 10% dos estudantes matriculados na UFSC.
  9. Auditoria pública com relação à Moradia Estudantil.
  10. Defesa do HU 100% do SUS. Ligado ao MEC.
  11. Ampliação das verbas para compras de livros da BU.
  12. Fortalecimento e criação de novas bibliotecas setoriais.
  13. Posicionamento contrário à entrada da PM no Campus Universitário.
  14. Declaração de posição institucional contra o REUNI (decreto 6096 da Casa Civil).
  15. Auditoria pública das fundações na universidade.
  16. Arquivamento dos processos administrativos e criminais relacionados aos estudantes que participaram da greve de 2005.
  17. Convocação de um conselho universitário aberto para a discussão de nossas reivindicações.

Defenda a universidade pública: participe das atividades da ocupação!

[Fonte: Blog da ocupação]

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 License