Antônio Carlos Monteiro Teixeira -- "Antônio da Dina"
teixeira-portrait.jpg

Baiano de Ilhéus nasceu em 22/08/44. Filho de Gerson da Silva Teixeira e Maria Luiza Monteiro Teixeira.

Graduou-se em Geologia pela Universidade Federal da Bahia, onde conheceu Dinalva Oliveira Teixeira com quem se casou. Trabalhou no Ministério das Minas e Energia e foi membro da Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC).

Em maio de 1970, desembarcou no Araguaia. Abriu um mercadinho no povoado de Araguanã, onde ficou conhecido como Antonio da Dina. Quando a guerrilha iniciou já estava separado de Dinalva.

Fez Parte do Destacamento C — Grupo 500. Era o instrutor de orientação na mata aos companheiros que chegavam.

Era reservado e carismático. Conhecia profundamente a área que os militantes do PC do B atuava, junto com Dinalva fez todo o mapeamento da região, até a serra das andorinhas, inclusive as próximas, com o conhecimento de geólogo. Dizem que chegou até Serra Pelada, região do garimpo.

Foi ferido e preso no mesmo combate em que Vítor e Zé Francisco tombaram. Junto com ele foram apreendidos pelos militares vários mapas da região.

Foi barbaramente torturado, conforme relatos de prisioneiros que sobreviveram. Há quem diga que foi decapitado. A morte consta nos documentos oficiais com a data de 29 de setembro de 1972, na primeira campanha do ataque das Forças Armadas à área.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 License