Movimento a Plenos Pulmões

[fonte: http://www.movplenospulmoes.org]

O Movimento A Plenos Pulmões se organiza em diversas universidades e escolas no estado de São Paulo, com os estudantes que querem dar uma resposta independente dos governos, reitorias e diretorias aos problemas que enfrentamos hoje.

Temos travado ao longo de alguns anos diversas lutas em defesa da educação pública, discutindo os ataques que a universidade e a educação sofrem. É assim que atuamos contra as reformas universitárias do governo Lula e do Serra em São Paulo, que pretendem responder à crise da universidade tornando-a ainda mais elitista e racista. Neste sentido também atuamos nas universidades privadas, colocando que a única maneira de acabar com os capitalistas do ensino, que cobram mensalidades exorbitantes e cada vez fazem um ensino mais voltado para o mercado, é estatizar as universidades e fazer universidades públicas para todos.

Nesta luta, nossos inimigos nos respondem com cada vez maior repressão, para impedir a organização e resistência dos es-tudantes e trabalhadores. Por isso lutamos em cada local de manei-ra unificada contra a repressão e pela livre manifestação, organização e confraternizaçã o dos estudantes. É nisso que se reflete hoje cada luta contra a repressão às festas na PUC, contra os ataques aos espaços estudantis na USP e contra a punição dos estudantes que lutam na Unesp.

Foi através destas discussões que, junto a estudantes independentes e outras organizações políticas, conseguimos estar em vários dos principais Centros Acadêmicos (CA´s) do Estado de São Paulo, como foi o caso dos CA´s de Ciências Sociais da USP, Unesp-Marília, Unicamp e PUC-SP, e do CA de Serviço Social da PUC-SP. Longe de ter isso como uma atuação burocrática, buscamos tornar estes CA´s verdadeiras ferramentas dos estudantes em suas lutas, e transformá-los em pólos de atividades culturais, artísticas e sociais, que questione profundamente a arte e cultura que tentam nos fazer engolir. Por isso, em cada CA onde estamos buscamos realizar cine-clubes, peças de teatro, festas e exposições.

A atuação nos CA´s, para fugir da lógica burocrática que as entidades estudantis estiveram submetidas ao longo dos últimos anos, deve ser uma atuação que parta de construir um novo movimento estudantil (ME), partindo das grandes experiências que tivemos no passado, e forjar um ME que reflita sobre as questões nacionais e internacionais e que se coloque a tarefa de se aliar com os trabalhadores para transformar a sociedade. É neste sentido que atuamos no sentido de organizar discussões, atos e manifestações frente aos acontecimentos dentro e fora da universidade, como é a marcha do dia das mulheres e contra a vinda do genocida Bush ao Brasil, e também das diversas campanhas que fazemos contra os ataques aos trabalhadores que lutam dentro ou fora da universidade, e dentro e fora das fábricas.

Além disso, o Movimento A Plenos Pulmões se coloca a tarefa de refletir qual resposta devemos dar à universidade burguesa, que produz conhecimento para o mercado e para enriquecer os capitalistas. Neste sentido, tentamos apontar de que forma o ME, se aliando aos trabalhadores não só nas lutas concretas, mas também utilizando seu conhecimento para aportar nestas lutas, pode começar desde já a questionar os currículos que nos são impostos nas universidades e lutar por uma universidade a serviço dos trabalhadores e da maioria da população. A luta hoje contra as reformas, seja de Lula ou de Serra, deve trazer junto esta discussão de qual universidade queremos.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 License